sábado, 28 de julho de 2007

Unicamp desenvolve cirurgia capaz de curar diabetes

Pensaram que eu tinha morrido, não? Mas não, ainda não... :-P
Novidades? Imensas! Mas como não há tempo, transcrevo só uma noticiazinha e depois um "piqueno" comentário.

-----

Unicamp desenvolve cirurgia capaz de curar diabetes
Em 26/07/2007


Pesquisadores da FCM da Unicamp estão testando uma nova cirurgia capaz de curar pacientes de diabetes. Cinco pessoas foram submetidas ao procedimento e quatro delas já estão curadas, dispensando até mesmo a insulina, enquanto a quinta conseguiu reduzir em até 80% a ingestão da substância.
O estudo começou depois da constatação de que 90% dos pacientes obesos com diabetes que passavam pela cirurgia de redução de estômago ficavam curados da doença. Anteriormente, a melhora era atribuída à própria diminuição do peso, razão da cirurgia, mas já havia redução da taxa de glicemia antes mesmo do emagrecimento, inclusive no pós-operatório. A partir daí, os médicos da Unicamp decidiram investigar.
Durante a cirurgia de redução de estômago, além da diminuição do tamanho do órgão, é feito um desvio para o alimento de forma que ele evite a primeira parte do intestino. Os médicos da Unicamp descobriram que esse procedimento secundário provoca o aumento de uma substância chamada GLP1 que, por sua vez, estimula o pâncreas a produzir insulina.
A nova técnica parte direto para esse desvio, dispensando a redução do estômago, mas costurando o órgão no intestino entre 70 e 80 centímetros depois do ponto original. Assim, pode ser aplicada até mesmo a pacientes não obesos, caso das cinco pessoas que foram submetidas à cirurgia até agora.
Fonte: Unicamp

> Ligação original

-----

Pois... Para não variar, a gente fica completamente à nora sobre a que tipo de diabetes isto se aplica...
Está bem, está certo, os tipo 2 são 90% ou mais dos diabéticos mas porra!... Esses são os mais fáceis de curar! Pelo menos em teoria. Dito de outra maneira: "doença incurável" e "irreversível" é a diabetes tipo 1 (pelo menos, até ver). A tipo 2 pode até ser controlada com dieta, exercício... dependendo dos casos, evidentemente... Tipo 1 não têm essa hipótese... NUNCA!
E de qualquer forma, os diabéticos tipo 1 também são gente, ou não? Por isso, senhores "investigadores" e "jornalistas", façam o favor de especificar a que tipo de diabetes se referem, sim? Não é pedir muito, pois não?...
Bem, uma coisa o artigo refere: que os pacientes submetidos à cirurgia NÃO eram obesos! Os tipo 2 são-no quase sempre e os tipo 1 quase nunca!... ;-) Repararamno !quase", não repararam?...


Actualização 21/05/2008: Por favor, leia também o artigo seguinte que publiquei sobre este assunto:
http://diabetico-mc.blogspot.com/2007/09/esclarecimento-sobre-ltima-entrada.html

18 comentários:

Anónimo disse...

gostaria que vcs tirassem uma duvida que tenho eu sou diabetica portadora do dm1 á 26 anos e não aguento mais esse sofrimento passou em uma emissora que descobrirão á cura do diabetes com uma cirurgia do intestino em campinas sera que posso tentar essa cura por favor me respondan quero ser libertada desse problema

dmc disse...

Olá,

O que vc ouviu nessa emissora é, quase de certeza, a notícia a que vc respondeu aqui.

Como eu disse no meu comentãrio à notícia, o artigo NÃO esclarece para que tipo de diabéticos funciona essa cura.
Lamento não poder dar-lhe mais informações directamente.

Mas, por favor, queira ver o artigo original (a ligação/o link está neste artigo que publiquei). Penso que dizem lá qual é o hospital que está a fazer essas cirurgias. Procure os contactos desse hospital e escreva-lhes ou telefone. ;)

Boa sorte!
~ dmc ~

dmc disse...

Olá de novo!

Por acaso, eu até já tinha respondido a essa sua pergunta no meu artigo seguinte!
Veja neste artigo: http://diabetico-mc.blogspot.com/2007/09/esclarecimento-sobre-ltima-entrada.html

É para diabéticos tipo 2. Lamento. :(

Eu sei qeu esta doença dá cabo dos nervos a qualquer um. Mas tente lidar o melhor possível com a coisa. E não pense demasiado na diabetes. Aprenda o que precisa de fazer para ter a coisa controlada e aproveite a vida! ;)

Anónimo disse...

já está fazendo 19 anos que escuto , aprenda á conviver com seu problema, mas se é problema devemos ir atrás de solução e não se conformar. Espero que algum médico diabético , inconformado de passar dia se monitorizando , estude mas e se escreva que encontrou á CURA do tipo1.

dmc disse...

Sim, caro Anónimo, todos nós diabéticos do tipo 1 e as pessoas que gostam de nós queremos isso...

Eu já sou tipo 1 há 29 anos e percebo muito bem o que está a dizer...

É até como aquela coisa que também ouvimos "mantendo o controlo da diabetes, pode levar uma vida perfeitamente normal"... Como se fosse muito normal a tal monitorização, para já nem falar das injecções e dos cálculos das doses e horas e tal (o que também não é nada normal) e mais das complicações que podemos ter por fazermos um mais ou menos pequeno desvio que é normal os não diabéticos fazerem sem correrem o risco dessas complicações...
Além de que... e se eu não quiser ter uma vida normal? Se eu não quiser a clássica vida "das 8 às 5"?... Há quem consiga isso e seja muito feliz (refiro-me a horários flexíveis e esses tipos de coisas ligados a algumas profissões liberais)

Mas no fundo, caro amigo, se os médicos se esforçam ou não, se às farmaceuticas interessa mais manter-nos diabéticos ou não... que diferença nos faz? Ou dito de outra forma, que podemos nós fazer?
Acho que só podemos mesmo tentar aceitar isto tanto quanto possível, mantendo-nos atentos sim, sem dúvida alguma, às possíbilidades de cura que por aí existem!
Se o caro amigo quiser partilhar connosco alguma informação ou link ou isso, é muito bem vindo! ;)

E entrentanto, tentemos lá lidar com isto... Há aí na minha lista de links um blog chamado "Viver com Diabetes". Não é um blog sovre inconformismo (que um bocado de inconformismo também muita falta nos faz!) mas por vezes, uma visão mais optimista sobre o problema também ajuda a não deixar que ele ocupe o lugar principal da nossa vida. ;)

Abraço,
~dmc~

*Tata* disse...

Olá.
Sou diabética tipo 1, a 5 anos. Hoje tenho 15.
Eu vi essa reportagem na record, porém não funciona para diabeticos que estão no peso ideal. :/
Gostaria de ter mais informaçoes sobre a Cirurgia feita no intestino que pode curar a diabetes tipo1.

Obrigada.

dmc disse...

Olá Tata,

Bom, eu não conheço a record porque vivo em Portugal, não Brasil.

No entanto, depois deste artigo que a Tata comentou, eu escrevi outro, sobre outro artigo de outro site, exactamente sobre o mesmo assunto. Entre outras coisas, esse segundo artigo diz o seguinte:
"Para proceder à realização do estudo, a equipa de investigadores realizou um desvio gástrico em sete pessoas com diabetes tipo 2, e cujo peso se encontrava entre o normal e o moderadamente obeso."
Ou seja, o facto de o seu peso ser ideal (normal) não a impedia de receber o tratamento com sucesso. O problema é a Tata, como eu, ser diabética tipo 1, não tipo 2.
A tal cirurgia parece que só funciona para diabéticos tipo 2.
O meu segundo artigo está aqui:
http://diabetico-mc.blogspot.com/2007/09/esclarecimento-sobre-ltima-entrada.html

Mas isto é o que eu li naquele segundo artigo na Internet. Se na reportagem que a Tata viu ou leu dizem outra coisa, então eu já não sei... Se fôr assim, uma das duas reportagens está errada...

Se quiser mais detalhes, o melhor talvez seja contactar a Unicamp directamente e perguntar-lhes. Não sei se eles responderão ou quando mas se foram eles que fizeram a descoberta, são eles que lhe podem dar a resposta mais correcta.

AGOSTINHO disse...

Ola sou diabetico do tipo mod entre o nao diabetico e o diabetico tipo 2 e as vezes tipo 1. existem tantos dados sobre diabeticos na internet, livros, tv,etc nos temos que ficar muito atentos a molestias que nos acompanha, nos os portadores que temos que nos inteirar da doenca. para mim a reportagem fica sempre clara que a cirurgia funciona melhor no diabetico tipo 2. ppois com sabemos o tipo 2 o pancreas produz insulina e o tipo 1 nao produz.é claro que com a cirurgia o diabetico tipo 1 vai comer menos e assim vai precisar de menos insulina que faz com que a glicose entre em nossa celulas pelas mitocondrias e transforme em ATP. eu tambem gostaria que esta cirurgia fosse a solucao para nos todos mais infelismente em medicina nao é tao facil assim. consideero um avanco muito grande este ganho que os pesquisadores estao conseguindo.boa srte a nos todos que deus ilumine aos pesquisadores.

dmc disse...

Olá AGOSTINHO,

A redução da glicose nos tipo 1 deve fazer-se sempre através da injecção de insulina. Aliás, a "redução" não, a "normalização".
De facto, como eu disse já em 2005 (talvez depois coloque aqui o link, depois de o procurar), o maior problema dos tipo 1 é que, sem insulina, não absorvemos a energia dos hidratos de carbono que ingerimos, ficam todos a encher o sangue em vez de serem absorvidos. É claro que se os HC ficarem no sangue em grandes quantidades, acabaremos por ter as complicações que levam tantas pessoas (mesmo médicos) a dizerem que a diabetes é uma "doença silenciosa" (até surgirem as complicações). Ela só é silenciosa nos tipo 2, nos tipo 1 NUNCA é silenciosa! E não é pelo açúcar no sangue, é pela falta de açúcar nas células, células que deveriam receber o açúcar do sangue e não recebem porque não têm a insulina para fazer a "ponte" entre sangue e células.

Basicamente, nos tipo 1, você pode e deve comer as quantidades que o seu corpo pedir desde que os níveis de glicemia sejam normais. Ou seja, se um diabético tipo 1 come muito mas os níveis de glicemia no sangue se mantêm normais e o peso permanecer dentro do normal para a altura e a idade, então é essa a quantidade de alimentos que esse diabético deve ingerir!
Se a glicemia subir, deve ser aumentada a dose de insulina (mas isto tem "subtilezas", aconselhe-se com o seu médico). A ingestão de alimentos só deve ser diminuida se o peso aumentar para além do normal para essa pessoa.
"Truques" para baixar a glicose nos tipo 1 são superfluos.

Nos diabéticos tipo MODY é que eu já não sei. Sei apenas que têm algumas coisas em comum com a tipo 1 e outras com a tipo 2. Também escrevi (após pesquisa) sobre isso em 2005. Mas agora já não me recordo...

Anónimo disse...

ola!
meu nome eh juliana borges,
eu sou diabetica desdos 7 anos estou com 14.
mais nessse pouco tempo ja sofri muito ja tive complicaçoes coomo:,aderite messenterica(2003como os antigos falavao tripa colada fiquei 2 meses sem fazer coco)
reflexo,neuropatia diabetica gravissima(2007nessa vez eu fiquei 3 meses no hospital internada e 1 mes na U.T.I neo natal parei de andar tive muita dor no abdomen lado esquerdo inradiando para a perna esquerda enfim todo o lado esquerdo ficou comprometido eu tomava morfina eh a dor nao alviava.isso ocorreu em 9 meses)
em 2008 tive algumas doenças que parei de andar ,fiquei com o pescoço comprometido do lado direito sem movimento com muitas dores que tambem inradiou para todo o lado do corpo direito dessa vez foram 10 meses assim.)


eu sei que para uma universidade 1 hospital escola eh muito + vantagem cura 1 paciente que ja teve varias consequencias.

aaguardo a resposta pode enviar para o meu e-mail?
julianab122@otmail.com

bjaos

Anónimo disse...

gostaria de saber mais informações sobre essa cirurgia.
informações mas detalhadas tipo nse essa cirurgia estão sendo feitas em hospitais particulares,como nos podemos fazer para realizar essa cirurgia e etc...

muito obrigado pela oportunidade aguardo respostas...

dmc disse...

Caro Anónimo,

Tudo o que eu sei sobre este assunto está publicado na mensagem.
Não tenho sequer seguido este assunto, já que não se aplica a mim directamente - esta cirurgia é apenas para diabéticos tipo 2 e eu sou tipo 1.
Além disso, moro em Portugal, não no Brasil, pelo que não estou a par de como funciona concretamente o sistema de saúde brasileiro, as ligações entre hospitais públicos e privados, a situação dos hospitais unviersitários brasileiros, etc.

Se precisa de mais informações, aconselho-o a consultar o artigo original, cuja ligação incluí no meu próprio artigo.
Se isso não lhe der as informações que pretende, sugiro-lhe que consulte a própria Unicamp.

Melhores cumprimentos,
~dmc~

Anónimo disse...

tenho 24 anos sou DM 1,que se desenvolveu na minha gestação pois exames comprovam que eu ñ tinha a doença antes, já tive varias crises por ñ tomar insulina e nem fazer dieta, fui internada varias vezes com cetoasidose diabetica, a ultima foi a uma semana quase morri por ñ aceitar a doença,queria fazer a cirurgia de qualquer jeito e fico triste em saber que ñ foi desenvolvida para DM 1 hoje pela primeira vez cai na real e tenho a certeza que se eu ñ começar monitorar e controlar a diabete ñ durarei muito, gostei das informações contigas em seu artigo,espero que eu aprenda a viver com essa doença...que vc possa conrinuar a nos informar

dmc disse...

Obrigado pelo comentário, anónima.
Sim, o melhor é mesmo cair na real, se quisermos viver.

No entanto, acho que já referi algures neste blog que conheci um terapeuta de massagens shiatsu que me disse ter já curado uma menina de 6 anos.
Segundo ele, tal como deveria ter sido feito no meu caso, menina tomou insulina durante alguns meses, ao mesmo tempo que ele a tratava com Shiatsu e dieta recomendada por ele. Ao fim de uns seis meses, a menina deixxou de precisar das injecções de insulina.
Esse tratamento não era possível no meu caso porque, quando ele me conheceu, eu já tinha diabetes há mais de 25 anos - o meu pâncreas cresceu habituado a não precisar de trabalhar e não há já volta a dar...
Eu sei que parece difícil de acreditar, uma estória como a dessa menina, mas eu acredito na pessoa que ma contou...

No seu caso, vejo que a diabetes só lhe surgiu como permanente após a gravidez (é comum para muitas mulheres, terem de facto diabetes durante a gravidez e deixarem de ser diabéticas depois do parto (a medicina ocidental também conhece isto). Nalguns casos, porém, a mulher fica grávida "para sempre". Parece ser este seu caso.
No entanto, se não tiver sido há muito tempo o seu parto, talvez ainda haja alguma esperança.

Vejo pela sua maneira de escrever que é brasileira, não portuguesa, e o meu terapeuta é português e vive em Portugal.
De qualquer modo, posso dar-lhe o endereço de e-mail dele se mo pedir. Escreva-me para diabetico.inc@gmail.com
Pode também tentar informar-se sobre terapias alternativas (a acupunctura e outras terapias orientais são reconhecidas há mais de 20 anos pela Organização Mundial de Saúde) junto de si. O problema é sempre saber se a pessoa é ou não um chalatão (o que infelizmente acontece muito com terapias que o nosso Governo não regulamenta nem fiscaliza...). Mas enfim... tente informar-se. E peça-me então o endereço do meu terapeuta por e-mail, se achar bem.

Se afinal, nada se puder fazer no seu caso, o melhor é mesmo aceitar esta porcaria, que é uma porcaria chata mas que não é mais forte que nós, se nós não deixarmos. Seja feliz! ;-)

meissa disse...

galera o q temos a fazer é aceitar essa doença e tentar conviver com esas agulhadas todos os dias, porque so nos sabemos como é extressante convivermos com o DM1 , e mas ninguem que nao seja portador(a) da mesma nao sabe, e temos que rezar para descobrirem logo a cura dela.

Amanda Barros disse...

Queridos internautas,quem disser a uma pessoa a não pesquisar a cura para o diabetes e ainda que é bobagem,simplesmente não sabe do que está falando. Há estudos com um embasamento experimental fortíssimo de que essa cirurgia é eficaz sim e que a partir dela,muitos outras pesquisas coerentes sobre o diabetes surgirão.Então...como a sra Meissa mencionou,temos sim que torcer e investigar para por um fim nessa doença cruel.

Anónimo disse...

fico muito feliz de ter certeza que funciona através de uma amiga que passou por esse procedimento a um mês. Vimos mais de 20 anos de sofrimento e agora não usamais insulina. Creio que chegará para as crianças o mais rápidop possível.Pois a minha filha é diabética tipo 1

Anónimo disse...

São tantos projetos para se chegar até a lua se isto realmente e verdadeiro, más não é capaz de descobrir a cura da diabetes ou uma insulina que não seja injetávesl, ou, se descobrir a cura os laboratórios vão fechar?